Viver é saltar do alto sem saber voar

large

Dentre as coisas boas sobre envelhecer, é que seguimos evoluindo, aprendendo, descobrindo. Nosso HD é sem limites, sempre tem espaço para o novo. Todas as fases da vida têm algo a nos ensinar. Umas mais que outras. Depois de algum tempo sem sair do lugar, você descobre que, para aprender a “voar”, é preciso dar saltos grandes. Só que essa tarefa não é fácil.

Às vezes falta impulso e o voo parece querer perder força. Mas logo você se reergue e retoma o controle. Às vezes o voo parece meio sem sentido.

Você não sabe bem onde está sobrevoando e nem mesmo aonde chegará. Mas o vento te leva. E aquela brisa gostosa volta e meia te faz sorrir, mesmo sem saber o porquê. “Viver é um privilégio.”, você pensa repentinamente.

E, sim, às vezes o voo também falha. Você cai. Mas tudo bem, você aprende que curativos não te fazem mais fraco, pelo contrário, te deixam mais resistente para as quedas seguintes.

Então você segue viagem ciente de que não é perfeito e para de se cobrar tanto, afinal os erros não te frustram mais, apenas te ensinam. Você aprende a rir mais, por nada.

A ser leve e a se [pre] ocupar menos com aquilo que você não tem o poder de mudar. E passa a poupar energia para o que você pode transformar.

Você entende que é sim importante fazer planos, mas que não deve se apegar a eles como um roteiro inalterável, pois no meio do caminho, tudo pode mudar.

Percebe que é bom e deve se sonhar com o amanhã, mas que não deve contar com ele sacrificando tanto o presente, afinal, por mais clichê que seja, nossa garantia é somente o agora.

E dai você conclui que viver é bem isso: pular de penhascos – diariamente – mesmo sem saber voar. Não há instruções. Mas a queda é emocionante e vale a pena.

E, de uma forma ou de outra, você acaba dando um jeitinho e cria asas durante esse louco percurso.

Por Renata Stuart

Posted on by Renata Stuart in Reflexão

About Renata Stuart

Renata Stuart tem 26 anos e é mineira, de Belo Horizonte. Se não fosse comunicóloga, seria psicóloga. Romântica incurável, intensa e fã de pessoas, escreve para tentar entender o comportamento humano, os relacionamentos e a si mesma. Desistiu e chegou à conclusão de que a vida não se explica, se sente.

One Response to Viver é saltar do alto sem saber voar

  1. Kátia

    Oi Renata!

    Que lindo seu blog! Adorei a reflexão, o texto está muito bem escrito.

    Você também foi convidada para escrever uma coluna no blog Papel, palavra, coração, da Yohana Sanfer né?! Por isso que conheci sua página.

    Se tiver interesse em visitar meu blog, ficarei muito contente. Criei faz pouco tempo, por isso ainda não tem muito conteúdo, mas tenho uma Fan page: Poesias da Kah, onde há mais publicações.

    Vou acompanhar você por aqui, espero que a gente possa trocar experiências.

    Beijos,

    Kátia

Add a Comment