» Renata Stuart

Seja bem – vindo

Posted on by Renata Stuart in slide | Leave a comment

O Atelier de Palavras é um espaço para compartilhar palavras por meio de textos, crônicas, pensamentos, reflexões, poesias, desabafos e tudo o que as palavras têm o poder de construir. Obrigada pela visita e espero que você goste, participe nos comentários e  volte sempre!

Reflexão

Posted on by Renata Stuart in slide | Leave a comment

Em Reflexão , você encontra textos sobre assuntos diversos. É uma pausa. Uma pausa para refletir sobre a vida, sobre as pessoas, sobre os sentimentos, sobre o tempo, sobre tudo e mais um pouco. ‘Penso, logo escrevo’. 

Textos de Amor

Posted on by Renata Stuart in slide | Leave a comment

Em Textos de Amor, você encontra palavras sobre amor, paixão, saudades, relacionamentos, dor, perda, desejos, e todas as sensações provocadas por essa palavrinha mágica, de apenas quatro letras. ‘Sinto, logo escrevo’.   

Desabafos

Posted on by Renata Stuart in slide | Leave a comment

Em Desabafos,  você encontra palavras que já não cabem mais no coração e na mente e, precisam, ser externadas por meio da escrita. Espaço de soltar o verbo, criticar, gritar, opinar..enfim, desabafar.  ‘Escrevo, logo alivio a alma’. 

Entre Aspas

Posted on by Renata Stuart in slide | Leave a comment

Em Entre Aspas, você encontra palavras de diversos autores. Tanto palavras de autores renomados, que todos conhecem, quanto palavras de outros blogueiros. Caso queira ter suas palavras expostas nessa tag, entre em contato com o atelier. ‘Gosto, logo reescrevo’. 

Das coisas que eu cansei

Posted on by Renata Stuart in Desabafos | 2 Comments

Cansei de falar e não fazer. Ou de começar a fazer e não terminar. Cansei de planejar e não por em prática. Cansei de esboços que não se transformam em coisas concretas. Cansei de me levantar e cair de novo.  Cansei de procurar e não encontrar. Cansei de ver o tempo passar e nada mudar. Cansei de tudo. Até de você. Cansei das suas promessas de que você vai mudar, de que as coisas vão melhorar. Cansei de dar conselhos …

Desencontros

Posted on by Renata Stuart in Textos de amor | 1 Comment

Nossos relógios nunca se ajustaram. Nosso tempo nunca foi mesmo. Nossos pés nunca seguiram a mesma direção. Das vezes que nos cruzamos, nenhuma foi por inteiro. Nunca entendi. Você deixou as pegadas, eu segui, achei que chegaria em algum lugar, mas errei o caminho. Me enganei. Depois você veio. Ora estava aqui, ora ali. Por infinitas vezes, a vida interrompia nosso percurso. Eu partia, depois voltava. Éramos pura oscilação. Sempre freando, retrocedendo, indo e vindo. Você se desviando dos meus …

Uma teoria sobre o amor

Posted on by Renata Stuart in Textos de amor | 17 Comments

Engana-se aquele que acredita que o amor já basta para a felicidade de um casal. Eu tenho uma teoria: O amor é apenas 50% de um relacionamento.  Sem ele, impossível dar certo. Somente com ele, impossível do mesmo jeito. O amor não nos dá garantia de felicidade. E onde estão os outros 50%? Estão distribuídos por aí, numa série de requisitos, conquistados dia após dia. Eles estão no respeito – esse é trivial, questão de sobrevivência mesmo. Quem respeita não …

Palavra do dia – Caio Fernando Abreu

Posted on by Renata Stuart in Entre Aspas | 2 Comments

  Exatamente assim. Pesada, sufocada. Ando com uma vontade tão grande de receber todos os afetos, todos os carinhos, todas as atenções. Quero colo, quero beijo, quero cafuné, abraço apertado, mensagem na madrugada, quero flores, quero doces, quero música, vento, cheiros, quero parar de me doar e começar a receber. – Caio Fernando Abreu –

Palavra do Dia – Clarice Lispector

Posted on by Renata Stuart in Entre Aspas | 3 Comments

“Sou o que quero ser, porque possuo apenas uma vida e nela só tenho uma chance de fazer o que quero. Tenho felicidade o bastante para fazê-la doce dificuldades para fazê-la forte, Tristeza para fazê-la humana e esperança suficiente para fazê-la feliz. As pessoas mais felizes não tem as melhores coisas elas sabem fazer o melhor das oportunidades que aparecem em seus caminhos” – Clarice Lispector –