» Renata Stuart

Das cartas que eu não enviei

Posted on by Renata Stuart in Textos de amor | 1 Comment

Às vezes a vida nos surpreende. E às vezes eu me surpreendo comigo mesma….Não me reconheço e não me compreendo. Hoje, por exemplo, não entendo porque estou assim, tão triste com sua ausência. O que você fez em mim? Ou o que eu me deixei fazer comigo mesma? Onde foi que eu confundi as coisas? Você nunca me deu nenhuma esperança, nenhum sinal..Sempre reservado, sempre amigável com todos, respeitoso, sério. Onde foi que eu me confundi? Por que estou sentindo …

Saudade que aperta e escorre pelos dedos…

Posted on by Renata Stuart in Desabafos | Leave a comment

Há exatos quatro anos, eu vivenciei o pior momento da minha vida: a sua partida. Foi então que me dei conta de que NADA mais seria o mesmo, e não foi.  A vida perdeu a leveza e a completude e eu pude ver, de fato, o quão vulnerável ela é.  Aqueles planos que a gente vive fazendo para o futuro perderam o sentido e o presente passou a valer ouro diante da incerteza da que comecei a enxergar na  vida, …

Então…é Natal!

Posted on by Renata Stuart in Reflexão | Leave a comment

Já gostei do natal. Quando criança, dezembro era sinônimo de fantasia, férias, Papai Noel, presentes e viagens. Eu me lembro da euforia com que eu e meus irmãos acordávamos para descer as escadas e ver os presentes que o “bom velhinho” havia deixado na árvore. Típica cena de filme americano, rs..Mas era uma delícia. Não me lembro de quando foi que descobri que essa tarefa era feita pelos meus pais! O amigo oculto, as comidas gostosas, as luzinhas e até …

Escrevendo sobre o inevitável …

Posted on by Renata Stuart in Desabafos, Reflexão | Leave a comment

Eu tentei evitar falar sobre isso, aliás, sigo todos os dias da minha vida tentando não pensar nisso.  E eu tentei adiar esse momento, mas eu sabia que, mais cedo ou mais tarde, eu teria que me sentar e escrever sobre isso.  Isso que eu não gosto nem de citar o nome. Tá, pode parecer superstição ou sei-lá-o-quê, mas eu não gosto de falar o nome e pretendo ir até o fim desse texto sem sequer citar o objeto dele. …

Porque envelhecer é viver …

Posted on by Renata Stuart in Reflexão | 2 Comments

É o meu aniversário. Sim, não me importo em anunciar: Estou ficando mais velha hoje. Aliás, não só hoje, todos os dias, fico um pouco mais velha. Sim, essa é uma das poucas certezas que temos nessa vida. Todos (os que têm sorte), com o passar dos minutos, horas, dias, semanas, meses, envelhecem. Acontece que apenas nos anos é que a gente se lembra de celebrar isso. E tudo ocorre de forma sutil, a gente quase nem sente num período …

Distância, fique longe de mim!

Posted on by Renata Stuart in Reflexão, Textos de amor | 3 Comments

Se ela tivesse um gosto, seria amarga. E como é insensível, faz doer sem piedade e causa um vazio dentro do peito de quem é separado por ela.  O ponteiro do relógio parece mais lento, os dias se parecem iguais e o coração fica mais apertado. Sim, falo da distância, essa danada que anda sempre de mãos dadas com a saudade, outra desnaturada. Várias são as distâncias que nos acometem nessa vida. Tem a distância de quilômetros. De pessoas que …

Somos o que recordamos

Posted on by Renata Stuart in Reflexão, Resenhas | 2 Comments

Hoje assisti ao filme The Vow, que significa “O voto”, mas que, por algum motivo, foi traduzido no Brasil como “Para Sempre” .  Na trama, que é inspirada em fatos reais, um casal apaixonado e com poucos meses de casados (Paige e Leo) sofre um acidente que causa na mulher uma lesão cerebral, deixando- a sem a memória de curto prazo. Ou seja, ela se lembra de sua vida toda, mas não recorda absolutamente de nada dos últimos cinco anos …

Quando a princesa cai da carruagem …

Posted on by Renata Stuart in Textos de amor | 2 Comments

Aconteceu. Eu achei que esse dia não chegaria, mas, sim, finalmente, ele chegou. Eu amanheci mais disposta do que havia me deitado, mais leve, mais presente, mais ‘eu’ e menos ‘zumbi’. Era como se as lágrimas que derramei no travesseiro até pegar no sono tivessem sido os seus últimos vestígios dizendo adeus. Sim. Quando me olhei no espelho, percebi: Você não era mais parte de mim. Eu havia aprendido a andar de bicicleta novamente, sem rodinhas, sem você. Então não …

O mundo paralelo dos hospitais…

Posted on by Renata Stuart in Reflexão | 1 Comment

Ainda não chovia, mas o dia era nublado e frio. Voltando do estágio, cerca de 14h, lá estava eu no ônibus, de botas, cachecol, ouvindo minha música no fone de ouvido, pensando em mil coisas ao mesmo tempo, entre elas no trabalho de marketing que eu tinha que terminar, no banho que eu queria tomar quando chegasse em casa e, claro, na fome que eu estava (já que eu ainda não tinha almoçado). Mas eu não ia almoçar naquele dia. …

Nossa história em poucas linhas…

Posted on by Renata Stuart in Desabafos | 4 Comments

Tudo começou cedo demais. Eu era nova, você também. Mas ao mesmo tempo, foi tudo intenso demais. De uma amizade despretensiosa, nasceu um sentimento puro, verdadeiro, gostoso, natural. Daí vieram as coincidências, todas conspirando ao nosso favor.  Conversando, descobrimos que nossos pais se conheciam há mais de 20 anos, que meus pais te carregaram no colo, que meu pai já teve, antes mesmo de eu planejar vir a esse mundo, um comércio ao lado da sua casa. Aquilo foi incrível. …